A PESQUISA COMO PRINCÍPIO EDUCATIVO

Pensar o desafio de educar pela pesquisa, na Educação Básica, justifica-se pela necessidade de uma educação que contemple a articulação entre teoria e prática, voltada para a (re)construção de conhecimentos indo além da instrução, já que o tipo de educação centrada no mero repasse de conteúdos escolares não atende suficientemente às necessidades do mundo atual. Um papel da escola relevante no processo de aprendizagem é o de utilizar metodologias que contribuam para a curiosidade e o interesse dos alunos, com conteúdos relacionados à sua vida cotidiana. Dessa forma, almeja-se um indivíduo questionador, observador, investigador e com habilidade de relacionar seus conhecimentos e suas ideias com ações de cidadania, sustentabilidade e ambientalismo. No encantamento pela descoberta e, também, na paixão pela pesquisa, é que se dá o processo de ensino. Uma vez que os alunos possuem uma curiosidade natural,  que pode e deve ser aguçada

 

nas aulas de projetos com temas atualizados e próximos de sua realidade, aproveitando esses momentos para proporcionar a realização de descobertas que lhe despertem o interesse científico. Para isso, temos que desenvolver atividades que possibilitem a construção de significado de conceitos, levando em consideração a sua curiosidade.Na realidade, projetos que resultam em uma verdadeira aprendizagem são aqueles que têm relação com a vida dos alunos, que lhes desafiam e que lhes propiciam, de fato, aplicação de conhecimentos adquiridos. Esses projetos possibilitam a promoção e o estabelecimento de estratégias de organização, estimulando-os a fazerem escolhas e se comprometerem com elas, além da realização de um trabalho coletivo e interdisciplinar.

O Colégio Edna Roriz propõe que os estudantes, mediados pelos educadores que ministram os componentes curriculares de Ciências, Biologia, Física e Química, bem como os componentes curriculares de Geografia, História e Filosofia, sejam desafiados a buscar, explorar, compreender e investigar temáticas que convergem com os conteúdos programáticos, mas que partem da curiosidade e do desejo de aprender. Espera-se com este trabalho: Despertar o espírito de equipe. Desenvolver o espírito crítico e investigativo. Aprofundar e complementar os conteúdos das aulas teóricas. Proporcionar o contato com tecnologias e materiais próprios das ciências. Aplicar o método científico (hipóteses, coleta de dados, análises e possíveis conclusões). Oferecer espaço para a interação e a observação dos fenômenos da natureza e suas transformações. Incentivar o gosto pela ciência e pela construção do conhecimento científico.

 

APRENDIZAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS (PBL) - ENSINO MÉDIO

 

A escola tem o papel de formar seres críticos e participativos, conscientes de seu papel nas mudanças sociais. O mundo atual, com tantas mudanças e novas demandas, exige dos indivíduos habilidades e atitudes diferentes das observadas em épocas anteriores. Mais do que antes, o cidadão deste século necessita se inserir de maneira adequada num mundo social e tecnológico cada vez mais complexo. Necessita saber pensar e refletir sobre tudo o que chega até ele através das novas tecnologias de informação e comunicação, saber pesquisar e selecionar as informações para, a partir delas, e da própria experiência, construir o conhecimento. Voltado para esses objetivos e com foco na aprendizagem significativa de seus alunos, o Colégio Edna Roriz propõe para o Ensino Médio a iniciativa didática da Aprendizagem baseada em Problemas (PBL). É importante considerarmos as diferenças existentes entre os trabalhos de grupo tradicionalmente propostos nas escolas e a metodologia de trabalho que propomos, pois esta proporciona um processo de aprendizagem cooperativa. Os primeiros tendem a agregar membros de forma a serem homogêneos, com um só líder, esperando-se que cada membro do grupo faça sua parte, tornando-se uma opção cooperar ou não com os companheiros, sendo a única meta dos seus componentes completarem a tarefa designada. Já na aprendizagem cooperativa, ensinam-se as habilidades sociais que os alunos necessitam para trabalhar em conjunto, isto é, liderança, habilidade para se comunicar e gerir conflitos. A principal meta é conseguir que cada um dos componentes aprenda o máximo possível; por isso, todos partilham informações, liderança responsabilidade pelo progresso do grupo, promovendo maior envolvimento de todos nas atividades, criando, assim, uma interdependência positiva. Finalmente, acreditamos que o uso de métodos cooperativos valoriza as competências sociais em detrimento da competição, consistindo em uma alternativa ao individualismo, privilegiando a solidariedade, a conjugação de esforços e a responsabilidade individual e social. Serão desenvolvidos estudos de caso, ao longo do ano, através da metodologia PBL, com os alunos das três séries do Ensino Médio. O objetivo é aproximar os alunos da resolução de problemas reais do cotidiano e, com isso, auxiliá-los nas suas escolhas profissionais.