NOSSA FILOSOFIA DE ENSINO E APRENDIZAGEM

"O estudante não deve aprender pensamentos, deve aprender a pensar; é preciso não o transportar, mas antes guiá-lo , se se desejar que, no futuro, seja capaz de se dirigir por seus próprios meios." (KANT, 1987)

É frequente que vejamos a escola como um espaço formativo, e a educação como uma prática de formação da pessoa. Entretanto, na prática, muitas vezes a escola se limita apenas a fornecer informações. Na Conferência Mundial de Educação para Todos, realizada em Jomtien, na Tailândia, em 1990, foram definidos quatro pilares da educação, que deveriam ser a meta para o desenvolvimento educacional em todos os países signatários de seus documentos. Esses pilares são:

· aprender a conhecer;

· aprender a fazer;

· aprender a viver com os outros;

· aprender a ser.

 

Para alcançar essas metas, a escola precisa ir muito além da informação, ou mesmo do mero desenvolvimento de um conhecimento acadêmico. Nelas, estão implícitas o desenvolvimento de habilidades necessárias à formação humana e social da pessoa. Para isso, é preciso proporcionar ao estudante o acesso ao conhecimento, a comportamentos, a conceitos, a procedimentos, a valores e atitudes, ao saber, ao fazer e ser. Portanto, uma proposta educacional que almeje estes propósitos de formação, não se concretiza em um universo restrito a um ensino livresco, fragmentado, conteudista, estereotipado e estagnado. Exige novas perspectivas, uma nova visão da Educação, com foco no desenvolvimento de habilidades e competências. Ao direcionar o foco do processo de ensino e de aprendizagem para o desenvolvimento de habilidades e competências, é preciso ressaltar que elas – as habilidades e as competências – necessitam ser vistas, em si, como objetivos de ensino. Ou seja, a escola deve incluir, entre as suas responsabilidades, a de ensinar a comparar, classificar, analisar, discutir, descrever, opinar, julgar, fazer generalizações, analogias, diagnósticos e outros, independentemente do que se esteja comparando ou classificando. Isso não significa desvincular as habilidades dos conteúdos. Pelo contrário, os conteúdos dos diferentes componentes curriculares (disciplinas) devem ser o principal instrumento para o desenvolvimento dessas habilidades. É necessário mudar o enfoque e a abordagem de muitos assuntos. Para tanto, faz-se necessário professores capacitados que assumam, juntamente com os alunos, a responsabilidade, tanto pela busca do conhecimento, quanto pelo desenvolvimento das habilidades de ambos.

Como muito bem coloca Perrenoud (1999), não existe uma noção clara e partilhada das competências. Mais do que definir, convém conceituar por diferentes ângulos. Pode-se dizer que uma competência permite mobilizar conhecimentos a fim de se enfrentar uma determinada situação. Destaca-se, aqui, o termo mobilizar. A competência não é o uso estático de regrinhas aprendidas, mas uma capacidade de lançar mão dos mais variados recursos, de forma criativa e inovadora, no momento e do modo necessário. A competência implica uma mobilização dos conhecimentos e habilidades que se possui para desenvolver respostas inéditas, criativas e eficazes para problemas novos.

O Colégio Edna Roriz, ao propor um currículo orientado por habilidades e competências, almeja educar o aluno para um fazer reflexivo, crítico e autônomo, no contexto de seu grupo social, colocando a educação a serviço das necessidades dos estudantes para sua vida cidadã.

  • Desenvolver a autonomia intelectual, a criatividade e a capacidade de pesquisar.

  • Desenvolver a capacidade de comunicar-se, tanto oralmente, quanto pela escrita, através do uso funcional da linguagem.

  • Desenvolver o interesse científico e a capacidade de raciocinar de forma lógica, matemática.

  • Desenvolver a autonomia moral, entendida como assimilação de valores discutidos, analisados e eleitos conscientemente.

  • Desenvolver o comprometimento do aluno com o seu próprio crescimento e com o do grupo e o interesse de participação responsável com espírito colaborativo, companheirismo, amizade e respeito.

OBJETIVOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA